domingo, 16 de maio de 2010

REFLEXÃO - DIÁRIO DE UM CÃO ABANDONADO



Oi AUmiguinhos, encontramos esse texto na net e no final diz para a maior quantidade de pessoas reproduzi-los...Eu sou muito aumada e não me conformo que como no texto existam pessoas humanas com tamanha falta de aumor...
O texto é comovente!!!


Diário de um cão

1ª semana - Faz hoje uma semana que eu nasci. Que alegria ter chegado a este mundo! - A minha mamãe cuida muito bem de mim. É uma mamãe exemplar.

2 meses - Hoje separaram-me da minha mamãe. Ela estava muito inquieta e disse-me adeus com os olhos na esperança de que a minha nova "família humana" cuidasse tão bem de mim como ela o tinha feito até então.

4 meses - Cresci muito depressa; tudo me chama a atenção. Há várias crianças na casa que são como irmãozinhos para mim. Somos muito irrequietos; eles puxam-me pelo rabo e eu mordo-lhes a brincar .

6 meses- Hoje ralharam-me. A minha dona zangou-se porque eu fiz xixi dentro de casa... Mas nunca me tinham dito onde devia fazê-lo. Além do mais durmo na cozinha e... já não agüentava mais !!!

8 meses - Sou um cão feliz. Tenho o calor de um lar; sinto-me tão seguro, tão protegido... Creio que a minha "família humana" gosta muito de mim e me considera muito. Quando estão a comer dão-me sempre um bocadinho; tenho o pátio todo só para mim e divirto-me esgravatando e fazendo buracos como os meus antepassados, os lobos, quando escondiam a comida. Nunca me educam - com certeza tudo o que eu faço está bem.

12 meses - Hoje faço um ano. Sou um cão adulto e os meus donos dizem que cresci mais do que eles pensavam. Que orgulhosos eles se devem sentir de mim!

13 meses - Hoje é que me senti mal! O meu "irmãozito" tirou-me a bola; como eu nunca tiro os brinquedos dele, fui lá e tirei-lhe a bola. Mas como as minhas mandíbulas se tomaram muito fortes, sem querer magoei-o. Depois do susto prenderam-me ao sol com uma corrente curta, quase sem poder mover-me. Dizem que vão ter-me sob observação e que sou um ingrato... Não percebo nada do que se está a passar.

15 meses - Já nada é igual. Vivo no fundo do quintal preso a uma árvore... Sinto-me muito só... A minha família já não gosta de mim. Às vezes até se esquecem que tenho fome e sede; e quando chove não tenho sequer um teto para me abrigar.

16 meses - Hoje vieram buscar-me. Achei que a minha família me tinha perdoado.

Fiquei tão contente que dei saltos de alegria e meu rabo não parava de abanar. Até parece que me vão levar a passear. Entramos para o carro, fomos até à estrada e andamos durante um bom bocado; até que pararam. Abriram a porta e eu desci todo contente, pensando que íamos passar o dia no campo.

Sem eu perceber porquê fecharam a porta e foram-se embora...

Ouçam! ...Esperem! ...Ladrei. Estão a esquecer-se de mim !!! Corri atrás do carro com todas as minhas forças... A minha angústia aumentava ao aperceber-me que estava quase a desfalecer e eles não paravam: tinham-me abandonado...

17 meses - Tentei, em vão, encontrar o caminho de casa. Sinto-me e estou mesmo perdido; enquanto vagueio encontro gente de bom coração que me olha com tristeza e me dá alguma coisa de comer. Eu agradeço-lhes com o olhar e do fundo do coração... Quem me dera que me adoptassem... Eu seria leal como nenhum outro.
Porém só dizem: "Pobre cãozito... Se calhar perdeu-se".

18 meses - Outro dia passei por uma escola e vi muitos meninos e jovens como os meus irmãozitos. Aproximei-me e alguns deles rindo-se" atiraram-me uma chuva de pedras "para ver quem tinha melhor pontaria". Uma dessas pedras acertou-me num olho e desde então já não vejo com ele.

19 meses - Parece mentira mas quando estava com melhor aspecto tinham mais pena de mim. Agora estou muito fraco e o meu aspecto piorou. Perdi um olho. E as pessoas escorraçam-me quando me agacho numa pequena sombra.

20 meses - Já quase não me mexo. Hoje ao tentar atravessar a rua fui atropelado. Eu acho que fui por um caminho seguro, chamado "passadeira de peões" mas... Nunca esquecerei o ar de satisfação do condutor que até andou de lado para me acertar. Antes me tivesse matado... Mas só me deslocou a anca. A dor é terrível, as patas traseiras não me obedecem e foi com dificuldade que me arrastei até um pedaço de relva na beira da estrada.

Há já dez dias que estou debaixo de sol, chuva e de frio e sem comer. Não me posso mexer. A dor é insuportável. Sinto-me muito mal. O lugar onde estou é muito úmido. Parece que até o meu pêlo está a cair. Algumas pessoas passam e não me vêem; outras dizem: "Não te aproximes!".

Estou à beira da inconsciência... Mas alguma força estranha me fez abrir os olhos; a doçura daquela voz fez-me reagir: "Pobre cãozito; como te deixaram! dizia... Junto dela estava um senhor de bata branca que começou a mexer-me e disse: Sinto muito minha senhora, mas este cão já não tem remédio; é melhor evitar-lhe o sofrimento...

Vieram as lágrimas aos olhos da gentil senhora que acenou afirmativamente... Como pude abanei o rabo e olhei-a, agradecendo por me ajudar a descansar.

Só senti a picada da injeção e adormeci para sempre, pensando na razão porque tive de nascer se ninguém me queria.



A solução não está em abandonar um cão na rua, mas sim em educá-lo.
NÃO CONVERTA EM PROBLEMA A SUA MELHOR COMPANHIA.
O CÃO É O MELHOR AMIGO DO HOMEM, DISSO NÃO TENHA DÚVIDAS

Ajude a abrir a consciência das pessoas e
assim acabar com o problema dos cães abandonados.

ESTE TEXTO DEVERIA SER COLOCADO EM TODOS OS PRODUTOS PARA ANIMAIS. PENSEM NISSO!!!

LAMBEIJOKAS A TODOS...AUDORO VOCÊS!!!

LOLA

9 comentários:

  1. Olá queridas !! bem vindas ao nosso paraíso ,fizemos as fotos para vcs,nossas queridas amigas ....
    Que texto lindo e triste ,mas real,todos os dias isso acontece. Que triste....Beijos e uma ótima semana!

    ResponderExcluir
  2. Oi lindas!
    Que bom que as duas gostaram do wallpaper, o que tem a Lolinha nunca na vida vai ficar feio né? Aqui vai a URL do selinho da vencedora:
    http://mypetbr-award.blogspot.com/2010/03/parabens-voce-venceu-o-conscurso-my.html

    ResponderExcluir
  3. Querida Lola, este blog é um charme só e vc é um encanto de cachorrinha.
    Aufagos!!
    Fernanda Eick - atelier tapera urbana

    ResponderExcluir
  4. Bom dia querida!
    O texto eu já conhecia é bem escrito e triste !
    Mais triste por ser muito verdadeiro!
    Aqui em floripa é feio um bom trabalho q vc deve conhecer pelo mãe de cachorro!
    Hoje liguei p cordenadoria pra marcar uma consulta de omeopatia para o Théo e fui muito bem atendido!
    Tudo de bom e uma linda e produtiva semana!

    http://migueleibel.blogspot.com

    ResponderExcluir
  5. Gigi, por acaso você recebeu minha resposta sobre a roupinha prá Lola ?
    Anote aí meu e-mail, assim fica mais fácil: fdias2212@gmail.com
    Beijos.

    ResponderExcluir
  6. to choranu nem li tudo!

    ResponderExcluir
  7. Nss, chorei, muito lindo, acho que as pessoas em vez de comprar um cachorro, adotem!

    ResponderExcluir
  8. Nossa, chorei lendo este texto, mas infelizmente, essa é a triste realidade: existem pessoas irresponsáveis que pegam cãesinhos para cuidar, mas no final, acabam fazendo o contrario.

    ResponderExcluir

Oi Aumiguinhos e aumiguinhas ficaremos muito feliz com os seus cãomentários...Obrigada...Lambeijokas da Lucy e Babi